Equipamentos de ancoragem para trabalho em altura | Veja os mais importantes

Equipamentos de ancoragem para trabalho em altura | Veja os mais importantes

por | jun 1, 2021

A importância dos equipamentos para trabalho em altura

O trabalho em altura é um serviço que apresenta inúmeros riscos de acidentes. Por esse motivo, é fundamental dispor de equipamentos de segurança com aplicação correta para o ambiente de trabalho e testados para oferecer garantia de funcionamento adequado.

As Normas Regulamentadoras de Segurança do Trabalho (NRs) são responsáveis por estabelecer regras e orientar ações dos empregadores para tornar os ambientes de trabalho mais saudáveis e seguros. Elas promovem e preservam a integridade física do trabalhador para desempenhar as suas funções da melhor forma possível.

Em ambientes de altura elevada, é fundamental que os colaboradores sejam treinados e capacitados a respeito de medidas de segurança.

O uso de EPIs é obrigatório e os equipamentos de ancoragem servem para dar mais estabilidade e segurança aos profissionais, não apenas para estar a par das normas, mas principalmente para fazer a prevenção dos riscos em trabalhos em altura.

Os dispositivos de ancoragem são parte obrigatória entre as categorias de equipamentos para o trabalho em altura: retenção de queda, posicionamento (para firmar o trabalhador, permitindo o trabalho em altura com as mãos livres), acesso por corda e resgate.

Destacaremos abaixo alguns equipamentos e EPIs que obrigatoriamente devem ser usados para trabalhos em altura. Confira!

 

Quais são os equipamentos para trabalho em altura?

Confira alguns dos principais equipamentos de ancoragem utilizados nas atividades em altura.

Linhas de vida

As linhas de vida são consideradas EPCs (Equipamentos de Proteções Coletivas) e são um dos principais equipamentos para trabalho em altura.

Existem vários tipos de linha de vida, como as horizontais e verticais e as fixas ou temporárias. A escolha depende do tempo, peso que suporta e tipo do serviço a ser realizado.

As linhas de vida horizontais temporárias se fixam na estrutura e oferecem a prevenção dos riscos em trabalhos em altura. São equipamentos de ancoragem feitos em fita de poliéster, equipados com equipamento que permite regular o comprimento e tensionar a fita. Suas extremidades apresentam mosquetões de aço com travamento automático. Utilizadas para garantir mais mobilidade e conforto ao usuário, possibilitando que ele se desloque sem parar o trabalho.

Já a linha de vida em escada marinheiro é um sistema de proteção contra quedas utilizado em linha de vida vertical, facilitando a ascensão e descensão do trabalhador. O kit consiste na instalação de suportes, cabo de aço, grampos leve, sapatilha leve e trava quedas para cabo de aço. Esse conjunto de equipamentos de ancoragem guia o usuário em segurança.

Absorvedor de energia

Os absorvedores de energia são equipamentos de ancoragem para retenção de quedas, tendo a função de amortece-las. Ele diminui o esforço nos pontos de ancoragem da linha de vida em caso de queda dos usuários.

É utilizado como parte dos sistemas de proteção contra quedas (linha de vida horizontal fixa) com cabo de aço 8mm, limitando a força de impacto no usuário em no máximo 7KN.

O absorvedor de energia é obrigatório quando há possibilidade de queda, segundo a NR35.

Conector/ Mosquetão

Os conectores ou mosquetões são equipamentos de ancoragem que servem para conectar sistemas de proteção contra quedas. Tratam-se de espécies de elos que fixam terminais com cabos para movimentação.

Descensor

Descensor é um dispositivo desenvolvido para trabalho em altura, acesso por corda e espaço confinado.

Eles possuem função de freio antipânico, com regulagem de velocidade, facilitando as manobras com cordas simples. Foram criados para minimizar riscos e proporcionar prevenção dos riscos em trabalhos em altura contra o perigo de quedas de alturas

Freio

Os freios são equipamentos de ancoragem para descida em cordas simples ou duplas.
Deve ser utilizado como um componente em um sistema descensor de corda.

Esse equipamento pode ser usado como parte de um sistema de acesso e resgate para espaços confinados, contenção de quedas ou como parte de um sistema de restrição de quedas.

Polias

As polias não podem faltar nas tarefas em altura, servem para reduzir o esforço na movimentação de peso. São projetadas para mudar a direção e o sentido da força, reduzindo a força de tração.

Esses equipamentos de ancoragem são usados para suspensão em altura, resgate em espaços confinados e redução de forças quando utilizada com corda ou cabo de aço, contenção de quedas ou como parte de um sistema de restrição de quedas.

Dois dos principais tipos são a polia simples com 1 ponto de ancoragem e a polia dupla.

 

Prevenção dos riscos em trabalhos em altura

Todos esses equipamentos de segurança são imprescindíveis para os trabalhos em altura, além de serem obrigatórios por lei. Manter a integridade dos profissionais e envolvidos nas atividades em altura é um dever e apenas com os equipamentos corretos é possível garantir o máximo de saúde e segurança.

É importante tomar todo o cuidado no momento do uso desses dispositivos de ancoragem. É preciso analisar previamente cada um deles, fazer um bom armazenamento e manutenções periódicas, e respeitar os prazos de validade estabelecidos pelo fabricante.

Manter os equipamentos para trabalho em altura bem conservados e em bom estado assegura que nenhum incidente ou imprevisto aconteça, mesmo com o uso dos itens.

Outras Postagens

Áreas classificadas |Entenda a diferença entre elas

Áreas classificadas |Entenda a diferença entre elas

O que são áreas classificadas e como identifica-las? Áreas com risco de explosão são locais onde existe a possibilidade da formação de atmosferas explosivas devido à presença de substâncias inflamáveis. Há áreas classificadas nos mais diversos segmentos. Para evitar a...

ler mais
Equipamentos para espaços confinados | Veja quais são eles

Equipamentos para espaços confinados | Veja quais são eles

Conheça os equipamentos para espaços confinados: segurança em primeiro lugar A Norma Regulamentadora (NR) que rege o trabalho em espaços confinados é a NR 33. Segundo a norma, qualquer área não projetada para ocupação humana, que possua meios limitados de entrada e...

ler mais